Romário alerta sobre a necessidade de investimentos no SUS

Nesta quarta-feira (15), o senador Romário discursou no Senado sobre os impactos da crise econômica na saúde pública do Brasil. O parlamentar carioca traçou uma relação entre o desemprego e o consequente cancelamento dos planos de saúde privados.

Com a retração do PIB em 3,6%, em 2016, e uma queda registrada de 3,8%, em 2015, os reflexos na economia são assustadores, com mais de 12 milhões de desempregados.

Na avaliação do senador, esses números impactam diretamente no Sistema Único de Saúde (SUS). “Desde 2015, 2,5 milhões de brasileiros perderam seus planos de saúde. Esse número é um alerta, precisamos garantir que essas pessoas estejam amparadas pelo SUS, mantido com a contribuição de todos os brasileiros. Precisamos garantir os direitos do cidadão e, para isso, aumentar os investimentos é primordial”, ressaltou Romário.

De acordo com a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 80% dos planos de saúde privados no Brasil são do tipo coletivo, concedidos como benefício aos empregados, portanto, quem perde o emprego também perde o plano de saúde.

Para o senador, é preciso ampliar e melhorar o SUS. “Em valores consolidados, hoje aplicamos menos de 4% do PIB na saúde. Um estudo do Conselho Federal de Medicina e da ONG Contas Abertas mostra que o gasto médio do governo com saúde, por habitante, é de R$ 3,89 por dia. Isso é menos do que o brasileiro gasta com o ônibus para ir e voltar do trabalho”, declara Romário.

Romário lembra, ainda, que o direito à saúde é assegurado a todos os cidadãos pela Constituição Brasileira e finalizou o discurso assumindo o papel de fiscalizador da pauta. “Neste ano, em que tanto se fala em cortes de investimentos, eu estarei aqui para garantir que o SUS e a saúde pública recebam a atenção e os recursos que merecem”, finalizou o senador.

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Ascom

.

Deixe uma resposta

captcha