Romário vai contestar alteração do estatuto da CBF no Supremo

O senador Romário (PSB-DF) anunciou, nesta quarta-feira (5), que vai contestar no Supremo Tribunal Federal (STF) a mudança no estatuto da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizada no último dia 23. As alterações, feitas sem a presença dos clubes da Série A, apenas com os presidentes das federações de futebol, reduziram o peso de voto dos clubes. Ficou definido que as federações terão peso três, enquanto os votos dos representantes da Série A valerão dois e os da Série B apenas um. Romário classificou a manobra de “golpe”.

“Se observa a má fé do cartola: promoveu uma assembleia ‘administrativa’, da qual os clubes não participam, em vez de uma ‘assembleia geral’, com a totalidade do colegiado”, delata Romário.

Para o senador, o cartola manteve o voto das federações mais elevados para se perpetuar no poder. “Del Nero assegura 57% dos votos do colegiado da assembleia geral, e poderá aprovar o que quiser, mantendo maioria, inclusive, para a eleição do presidente da CBF. É que pelo novo critério são 81 votos garantidos, contra apenas 60 votos dos clubes da Série A e B”, explicou.

Romário anunciou que está montando uma contestação para essa medida, que será encaminhada ao STF, pois sente-se lesado como torcedor ao ver seu clube sem nenhum poder de decisão na CBF. “É preciso destacar que o líder desse golpe é um presidente que está indiciado pela Justiça dos Estados Unidos, acusado de corrupção. Del Nero está tão enrolado que pode ser preso pelo FBI ou Interpol se sair do Brasil”, apontou.

Romário ainda ironizou o fato de Del Nero não estar preso, apesar das inúmeras acusações e provas contra ele. O cartola foi indiciado pela justiça americana por criar um esquema para fraudar a Fifa e a CBF. Além de ser acusado de ter recebido propina relacionada à Copa América e à Copa do Brasil.

“Apesar de todas as comprovações de que nosso patrimônio esportivo está sendo golpeado por espertos cartolas, ainda assim não temos quem se sensibilize à documentação para prender os ladrões do futebol. Ironicamente, festejamos quando a ação vem da Justiça norte-americana ou da ação da Polícia da Suíça. É lá que está a nossa esperança de justiça”, finaliza o senador.

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Ascom

.

Deixe uma resposta

captcha